Pesquisa de Salmonella spp. e Listeria Monocytogenes em Saladas Contendo Maionese Comercializadas em Restaurantes Localizados no Municipio de Ji – Paraná, Rondônia, Brasil

Autores

  • Izabel Bárbara Barcelos graduanda em farmácia pelo centro universitário luterano de Ji - Paraná
  • Tiago Barcelos Valiatti graduando em farmácia pelo Centro UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE JI - PARANÁ
  • Fabiana De Oliveira Solla Sobral docente do curso de biomedicina do centro universitário luterano de Ji - Paraná
  • Natália Faria Romão docente do curso de ciências Biológicas do centro universitário luterano de Ji - Paraná
  • Vanessa Mattos Vieira graduanda em biomedicina pelo centro universitário de Ji - Paraná.

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8938.2016v18n3p159-62

Resumo

Atualmente é cada vez maior o número de pessoas que realizam suas refeições fora de casa, o que estimula a expansão do número de restaurantes e consequentemente a preocupação com a qualidade dos alimentos servidos uma vez que alimentos contaminados podem ser responsáveis por graves surtos de Doenças Transmitidas Por Alimentos. O presente estudo teve por objetivo analisar a presença de Salmonella spp. e Listeria monocytogenes, em salada com maionese. Foram coletadas quatro amostras em cinco restaurantes localizados no município de Ji – Paraná, Rondônia, perfazendo um total de 20 amostras. Do total de amostra analisados 30% apresentaram positividade para Salmonella spp. e 100% negatividade para Listeria monocytogenes. Em relação á contaminação de Salmonella spp. por estabelecimento, observou-se que os locais um e cinco apresentaram maior nível de contaminação quando comparados com os demais. O destaque ficou para o estabelecimento quatro que não apresentou contaminação. Diante do exposto vê-se a necessidade de maior controle de qualidade no preparo desse alimento e fiscalização por parte dos órgãos responsáveis, tendo em vista que a Salmonella spp. é o microrganismo mais associado a surtos de doenças transmitidas por alimentos.

Palavras-Chaves: Doenças Transmitidas por Alimentos, Segurança Alimentar, Qualidade Microbiológica

Referências

Seixas FRF. Verificação das boas práticas de fabricação (BPF) e Análise da qualidade microbiológica de saladas adicionadas de maionese comercializadas na cidade de São José do Rio Preto-SP. São José do Rio Preto: Universidade Estadual Paulista; 2008.

Sanches AC. Avaliação do desenvolvimento microbiano em superfície de manipulação de alimentos. Rev Hig Aliment 2007; 21(154): 30-33.

Andrade NJ, Silva RMM, Brabes KCS. Avaliação das condições microbiológicas em unidades de alimentação e nutrição. Ciênc Agrotec 2003; 27(3):590-596.

Lima JX, Oliveira LF. O crescimento do restaurante self-service: aspectos positivos e negativos para o consumidor. Rev Hig Aliment 2005; 19(128):45-53.

WHO (World Health Organization). Foodborne disease outbreaks. Guidelines for investigation and control. 2008.

Miranda PC, Barreto NSE. Avaliação higiênico-sanitária de diferentes estabelecimentos de comercialização da carne-de-sol no município de Cruz das Almas-BA. Rev Caatinga 2012; 25(2): 166-172.

Franco BDGM, Landgraf M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo: Atheneu; 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Doenças Transmitidas por Alimentos. Dados epidemiológicos. Brasília: MS; 2015.

Germano PML, Germano MIS. Higiene e vigilância sanitária de alimentos. São Paulo: Varela; 2001.

Rocourt J, Buchrieser C. The genus Listeria and Listeria monocytogenes: phylogenetic position, taxonomy, and identification. In: Ryser ET, Marth EH. Listeria, listeriosis and food safety. 3º ed. Boca Raton: CRC Press; 2007.1-20.

Mead PS, Slutsker L, Dietz V, McCAIG LF, Bressel JS, Shapiro C, Griffin PM, Tauxe RV. Food-related illness and death in the United States. Emerg Infect Dis 1999; 5(5): 607-625.

Silva N, Junqueira VCA, Silveira NFA, Taniwaki MH, Santos RFS, Gomes RAR. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos e água. 4ºed. São Paulo: Varela; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Brasília: RDC n.º 12 de 2 de janeiro de 2001. [acesso em 25 fev 2016]. Disponível em http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/a47bab8047458b909541d53fbc4c6735/RDC_12_2001.pdf?MOD=AJPERES.

Chang YC, Scaria J, Ibraham M, Diophode S, Chang YF, Sultan A, Mohammed HO. Distribution and factors associated with Salmonella enterica genotypes in a diverse population of humans and animals in Qatar using multi-locus sequence typing (MLST). J Infect Public Health 2015.

Evangelista J. Tecnologia de alimentos. 2º ed. São Paulo: Atheneu; 2001.

Momesso AP, Matté MH; Germano PML. Avaliação das condições Higiênico-sanitárias de restaurantes tipo self-service, por quilo, do município de São Paulo, durante o período de distribuição de refeições. Rev Hig Aliment 2005; 19(136): 81-89.

Amaro EC. Avaliação da qualidade microbiológica de alimentos prontos para consumo e ambientes em creches da rede pública de Campinas/SP. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2013.

Bernabé APV, Castro GPP, Martins CHG. Pesquisa de Salmonella sp e contagem total de bactérias mesófilas aeróbias em panos de prato, esponjas e placas de corte em restaurantes da Universidade de Franca. Franca: Universidade de Franca, 2005.

Rocha B, Batista LS, Borges BMA, Paiva AC. Avaliação das condições higiênico-sanitárias e da temperatura das refeições servidas em restaurantes comerciais do tipo self-service. Unipam 2010; 1(7): 30-40.

Telzak EE, Budnick LD, Greenberg MS, Blum S, Shayegani M, Benson CE. et al. Nosocomial outbreak of Salmonella Enteritidis infection due to the consumption of raw eggs. N Engl J Med. 323(6):394-7.

Araújo E, et al. Surtos alimentares por Samonella Enteritidis associados ao consumo de alimentos à base de ovos em Sorocaba, SP. Rev Hig Aliment 2003; 9(40): 24-26.

Welker CAD, Both JMC, Longaray SM, Haas S, Soeiro MLT, Ramos RC. Análise microbiológica dos alimentos envolvidos em surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) ocorridos no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. R Bras Bioci 2010; 8(1): 44-48.

Malheiros PS, De Paula CMD, Tondo EC. Cinética de crescimento de Salmonella enteritidis envolvida em surtos alimentares no RS: uma comparação com linhagens de outros sorovares. Ciênc. Tecnol. Aliment 2007; 27(4): 751-755.

Correia MHS, Campos MRH, Serafini AB, André MCDPB. Avaliação microbiológica de salada de vegetais com maionese, servidas em restaurantes comerciais self-service por quilo, na região central de Goiânia, GO. Rev Hig Aliment 2002; 16(102/103): 63-70.

Garrido V, Garcia-Jalon I, Vitas AI. Temperature distribution in Spanish domestic refrigerators and its effect on Listeria monocytogenes growth in sliced ready-to-eat ham. Food Control 2010; 21(6): 896-901.

Jeyaletchumi P, Tunung R, Margaret SP, Son R, Farinazleen MG, Cheah YK. Detection of Listeria monocytogenes in foods. Int Food Res J 2010; 17: 1-11.

Gonçalves AA. Tecnologia do Pescado: Ciência, Tecnologia, Inovação e Legislação. 1º ed. São Paulo: Atheneu, 2011.

Fretz R, Sagel U, Ruppitsch W, Pietzka A, Stoger A, Huhulescu S, et al. Listeriosis outbreak caused by acid curd cheese Quargel, Austria and Germany 2009. Euro Surveillance 2010; 15(5):1-2.

Maia C, Barreira MJ, Coelho A, Flores CV, Furtado R, Marcos S, et al. Presença de Listeria monocytogenes em estabelecimentos de restauração coletiva, da região de Lisboa e Vale do Tejo. INSA 2015; 4(5): 18-21.

Montanari AS, Romão NF, Sobral FOS, Marmitt BG, Silva FPS, Correio TCAM. Avaliação da qualidade microbiológica de sashimis de salmão, preparados e comercializados em restaurantes japonês no município de Ji-Paraná-RO. South American 2015; 2(1): 4-16.

Almeida TL. Pesquisa de Listeria monocytogenes em linguiças do tipo frescal. Goiás: Universidade Federal de Goiás, 2014.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-10-06

Edição

Seção

Artigos