Intervenção Cirúrgica Tardia em Pseudoartrose Diafisária de Fêmur: Relato de Caso

Autores

  • Anna Victória Souza Silva Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I
  • Luiz Augusto Brusaca de Azevedo Laureano Silva Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I
  • Kim Theodoro da Silva Rolim Cabral
  • Ivanete Chaves Sbruzzi Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I
  • Gislaine Priscila de Andrade
  • Vitor Alexandre Silva Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I

DOI:

https://doi.org/10.17921/2447-8938.2016v18n3p206-9

Resumo

O excesso de veículos circulantes e consequentemente o aumento de acidentes automobilísticos, podem ser justificadas em razão ás exigências impostas pelo cenário econômico atual, no qual com o advento da tecnologia e os avanços nos meios de transporte, alteraram as formas de locomoção humana. Desta forma, em questões de saúde pública, os acidentes de trânsito se tornaram uma preocupação, devido ao tempo de reabilitação e reinserção social do indivíduo lesionado ser incerto. A Pseudoartrose é definida como uma falha na obtenção de fusão óssea, onde a etiologia pode apresentar diversos fatores como causa, desde ausência de componentes genéticos na remodelação óssea até fatores externos, por exemplo, desgaste muscular em ambiente de trabalho, entre outros. O presente estudo tem como objetivo relatar um caso desta patologia: Paciente do sexo masculino, 23 anos, com a aquisição de politraumatismo devido a acidente automobilístico, ocasionando trauma no fêmur direito (fratura fechada). Como intervenção de suporte de vida avançado, foi submetido a tratamento cirúrgico tardio e implantação de prótese específica. Observou-se um processo de não consolidação óssea, doloroso, crônico e de prognóstico desfavorável, o que levará obrigatoriamente a substituição da prótese inserida e aplicação de técnicas de fixação mais adequadas à realidade do paciente, qualidade do tecido ósseo e material de síntese.

Biografia do Autor

Anna Victória Souza Silva, Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I

Graduando de Fisioterapia e integrante da Liga Acadêmica da Saúde (LAS-FAT).

Luiz Augusto Brusaca de Azevedo Laureano Silva, Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I

Graduando de Fisioterapia, Presidente e integrante da Liga Acadêmica da Saúde (LAS-FAT).

Ivanete Chaves Sbruzzi, Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I

Graduação em Ciências Biologicas, UNITAU 1995.

Mestrado em Genética, USP 2006.

Professora das graduações de Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia. 

Vitor Alexandre Silva, Faculdade Anhanguera de Taubaté Unidade I

Graduação em Engenharia Industrial Química, FAENQUIL 1991.

Mestrado em Engenharia de Materiais, FAENQUIL 1994.

Doutorado em Engenharia Aeronâutica e Mecânica, ITA 1998.

Pós-Doutorado, Universidade de Aveiro 1999 à 2001.

Pós-Doutorado, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá 2001.

Pós-Doutorado, IP&D - UNIVAP 2001 à 2007.

Graduação em Farmácia, FAPI 2007.


Referências

Reis FB, Neto JSH, Pires RES. Pseudoartrose. Revista Brasileira de Ortopedia. 2005; 40(3):79-88.

Filho RPSB. Terapia celular na pseudo - artrose. 2010. 46 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Medicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2010.

Gaiarsa GP, Reis PR, Targa WHC. Pseudoartrose. In: Pozzi I, Reginaldo S, Almeida MV, Cristante AF. Manual de trauma ortopédico. São Paulo: SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. 2011; 43: 239-243.

Filho RB, Lermontov S, Borojevic R, Schott PC, Gameiro VS, Granjeiro JM. Terapia celular da pseudoartrose. Acta Ortop Bras. 2012; 20(5): 270-273.

Oliveira NDS. Pseudoartrose. Revista de Medicina. 1940; p.77-86

Ladeira JED. Avaliação da deformação interfragmentar em osteossíntese de fraturas com diferentes comprimentos de placas. 2006. 104 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Universidade de Taubaté, Taubaté, SP, 2006.

Perren SM. Minimally invasive internal fixation history, essence and potential of a new approach. Injury. 2001; 32(Suppl. 1): SA1-SA3.

Matusin DP. Estudo preliminar de caracterização ultrassônica da pseudoartrose. 2009. 68 f. Dissertação ( Mestrado em Engenharia Biomédica) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2009.

Orozco R. El ocaso de las placas. Por qué se rompen los implantes? Rev Ortop Traumatol. 2001; 3: 177-182.

Perren SM. Physical and biological aspects of fracture healing with special reference to internal fixation. Clin. Orthop. 1979; 138: 175-196.

Bitar RC. Métodos de fixação das fraturas. In: Pozzi I, Reginaldo S, Almeida MV, Cristante AF. Manual de trauma ortopédico. São Paulo: SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. 2011; 2: 18-21.

Sousa PM, Marchiori E, Dinoa VA, Knackfuss IG, Aspectos radiográficos e ultra - sonográficos dos pacientes submetidos a alongamento ósseo pelo método de Ilizarov. Radiol Bras. 2003; 36(6): 345-352.

Borges JL, Junior OL, Kim JH, Milani C. Tratamento da pseudartrose infectada da tíbia pelo método de Ilizarov: técnica do encurtamento agudo com subsequente alongamento. Rev Bras Ortop. 2007; 42(9): 278-284.

Cocco LF. Princípios das osteossínteses. In: Pozzi I, Reginaldo S, Almeida MV, Cristante AF. Manual de trauma ortopédico. São Paulo: SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. 2011; 1: 15-17.

Jorge SRN, Cocco LF, Kawano C. Fernandes HJA, Reis FB. Uso de placa onda no tratamento das fraturas diafisárias do fêmur não consolidadas. Acta Ortop Bras. 2006; 14(1): 17-21.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-10-06

Edição

Seção

Artigos